Prefeitura encaminha o projeto ousado de lei do Refis 2021 para Câmara Municipal

Projeto tem relevância para economia da cidade.

 

Fonte: Prefeitura de Campinas

 

Hoje, dia 29 de junho, a prefeitura de Campinas encaminhou o projeto de lei do Refis 2021 para a Câmara Municipal, projeto de grande importância econômica para a cidade. “Já pagando a primeira parcela, o contribuinte conseguirá emitir a certidão positiva com efeito negativo. Com isso, as empresas com débitos negociados poderão buscar empréstimos e financiamentos para retomarem suas atividades. Também é uma excelente oportunidade para as famílias que hoje estão em débito com a Prefeitura”, explica o secretário de Justiça, Petter Panutto.

A expectativa é que as negociações tenham início em setembro, depois da aprovação e regulamentação da lei.

De acordo com o presidente da Associação Regional da Habitação de Campinas, Habicamp, Francisco De Oliveira Lima Filho, a ação foi rápida e no momento correto para a cidade. “Campinas estava com problemas sérios de pagamento não só de IPTU, mas de outros impostos. Se não tivesse essa grande saída do nosso prefeito, todos nós iríamos parar por falta de dinheiro no mercado”, afirma.

Programa

O programa vai oferecer descontos de até 100% em juros e multas para dívidas tributárias (IPTU, ISS e taxas) e até 20% para as não tributárias (multas da Vigilância Sanitária, do Procon e do Cofit).

“Este é o Refis mais ousado que Campinas já teve. Queremos incentivar e proporcionar condições para que o contribuinte – pessoa física ou jurídica – possa regularizar sua situação junto à Prefeitura”, explicou o prefeito durante transmissão ao vivo pelas redes sociais da tarde desta quinta-feira.

O programa, denominado por ele de “Refis da pandemia”, vai beneficiar, principalmente, os mais afetados em 2020 e 2021. “Vários setores e famílias tiveram perdas durante a pandemia e o programa será mais favorável para esses contribuintes. Acreditamos que a regularização, principalmente das empresas, vai favorecer a retomada da economia, com geração de empregos e renda”, completou o prefeito.

O desconto vai variar de acordo com o número de parcelas que o contribuinte escolher, com o ano da dívida e com o tipo de imposto. O parcelamento poderá ser feito em até 60 vezes para dívidas de até R$ 1 milhão ou em até 96 vezes para débitos superiores a este valor.

 

 

Tipos de descontos

Os contribuintes com débitos a partir de 2020, por conta da pandemia, terão descontos maiores nos juros e multas, que ficarão entre 80% e 100%. Já para quem tem débitos até 2019, os descontos nos juros e multas serão de 50% a 80%. Para quem optar pelo parcelamento, nos dois casos, não haverá encargos para negociações de até 12 parcelas; a partir de 13, os encargos financeiros serão de 2% ao ano.

Os descontos também são diferenciados para quem tem dívidas não tributárias e preços públicos. Para esses contribuintes, o desconto proposto varia de 10% a 20% no valor principal da dívida.

De acordo com o secretário de Finanças, Aurílio Caiado, quem deixou de pagar parcelamentos antigos também será beneficiado por essa edição do Refis. “Muitas empresas e famílias tinham parcelamentos de Refis anteriores mas, por conta da crise, não conseguiram manter os pagamentos em dia. Esses contribuintes também poderão se beneficiar das condições que estamos oferecendo nesta edição do Refis”, explicou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.