Ações de compensação ambiental resultam no plantio de 70 mil mudas em Campinas

Campinas recebeu cerca de 70 mil mudas de árvores, plantadas em decorrência
da atuação do MPF (Ministério Público Federal). As ações de reflorestamento
são resultado de acordos judiciais firmados em 2015 e 2017, em ações de
reparação ambiental de zonas degradadas na Fazenda Chapadão. Do total de
mudas, mais de 45 mil foram destinadas à recomposição de APPs (Áreas de
Preservação Permanente) da região.

Em uma das ações, o MPF pedia reparação ambiental após o derramamento de 8
mil litros de óleo diesel de um posto de combustíveis clandestino, em 2009.
O incidente provocou contaminação do solo. O município assumiu a obrigação
de recuperar todas as APPs da localidade, uma vez que o dano era
irreversível e sua reparação, inviável.

Na outra ação, ajuizada em 2013, o MPF buscou a execução de um TAC (Termo de
Compromisso e Ajustamento de Conduta) firmado com a Prefeitura em 2004 e que
visava à proteção e recomposição da área de preservação permanente do
Ribeirão Quilombo, cujas nascentes ficam na Fazenda Chapadão e na Praça
Osvaldo Aranha.

O ministério constatou, nove anos depois, que as obrigações para recuperação
da área ainda não haviam sido cumpridas.

MULTA

Com o plantio das 45 mil mudas em APPs após o acordo firmado em 2015, a
Prefeitura de Campinas cumpriu parte das obrigações. A municipalidade ainda
deveria arcar com a multa pela demora no cumprimento do TAC, valor que já
ultrapassava os R$ 2 milhões em 2017. O MPF propôs, então, que o pagamento
fosse feito por meio da recomposição da vegetação, preferencialmente em
áreas próximas ao Ribeirão.

Para arcar com toda a multa, o município deveria plantar pelo menos 20.810
mudas arbóreas, no prazo de dois anos. “Partiu-se da ideia de que o plantio
de cada muda de árvore, até que atinja autossustentabilidade, com adubação,
coroamento, controle de pragas e replantio quando necessário, custa o valor
médio de R$ 96,11”, explicou o procurador da República Edilson Vitorelli.

Após este acordo, já foram plantadas 22.799 mudas e há anuência para que o
total chegue a 47 mil. Como resultado das medidas, o MPF promoveu o
arquivamento das ações. Tal fato, porém, não exime a Prefeitura de Campinas
de acompanhar o plantio das mudas até sua autossustentabilidade, de forma
que, em caso de descumprimento dos acordos pela municipalidade, os
procedimentos poderão ser reabertos. (Jornal Todo Dia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.