Baden vira polo de economia forte

Principal via urbana do Jardim Nova Europa, em Campinas, a Avenida Baden
Powell passa por um desenvolvimento intenso, o que já faz dela a “menina dos
olhos” do mercado imobiliário, do comércio e do ramo alimentício da cidade.

Desde a inauguração de uma moderna ciclovia, em maio de 2016, a avenida se
transformou e ganhou iluminação, sinalização e infraestrutura nova. Como
resultado direto, houve uma explosão de novos empreendimentos em seu
entorno.

Inaugurações são cenas rotineiras na avenida, apelidada por moradores de
“Nova Amoreiras”, dada a oferta de estabelecimentos e serviços que já
dispõe, variando de oficinas mecânicas e farmácias a agências bancárias,
restaurantes e food trucks.

Pequenos comerciantes até resistem por lá, mas já notam ao redor franquias
famosas, que se instalaram nos últimos meses, como Ponto da Esfiha e
Domino’s Pizza (alimentação), Panobianco (academia) e Dia (supermercado).

Atualmente, são pelo menos 140 estabelecimentos em atividade na Baden
Powell, de acordo com Raildo Diniz Neves, presidente da SAB (Sociedade
Amigos de Bairro) Nova Europa. E a tendência, segundo ele, é de aumentar
cada vez mais. “A Baden caminha para ser a nova Amoreiras em Campinas. A
ciclovia deu um salto de qualidade nos serviços e a perspectiva é que
aumente ainda mais os comércios na avenida. Agora o morador do Nova Europa
não precisa mais sair do bairro para comer ou fazer seja lá o que precisar”,
disse.

Quem investiu na Baden Powell nesses tempos comemora os lucros. É o caso de
Thiago Cachefo, que abriu junto da esposa, cunhada e sogro uma espetaria em
março de 2016, pouco antes da avenida viver seu “boom”.

O sucesso do Santo Espeto foi tanto que, um ano e meio depois, eles trocaram
um pequeno salão de 80 metros quadrados por um maior, de 300 metros, do
outro lado da avenida. Recebem semanalmente de 3 a 4 mil clientes e empregam
25 funcionários. “Nossa vontade sempre foi montar algo aqui no bairro, e
abrimos um estabelecimento inédito, que eram os espetinhos de carne para o
pessoal se sentir em um churrasco no fundo de casa, num clima familiar, com
preço justo. Nunca imaginávamos um crescimento tão grande como foi. Hoje,
mesmo com outros dois lugares vendendo espetinhos na avenida também,
continuamos recebendo gente até de outras cidades”, festejou.

A dona de casa Leila Trigo, de 60 anos, mora no Jardim Nova Europa desde que
nasceu e comemora a transformação repentina do bairro. “Melhorou 100% nesses
últimos anos. Essa avenida era só matagal, e agora tem tudo o que a gente
precisa”, comentou, enquanto tomava um açaí num estabelecimento inaugurado
há três meses – e que estava lotado, por volta das 19h de uma quinta-feira.

O funcionário público Gabriel Tomaz Ferreira, de 20 anos, também lembra bem
como era a avenida, sem muitos atrativos antes da ciclovia. “Antigamente
aqui (ciclovia) era um canteiro que só tinha mato. Com a ciclovia, começou a
abrir um monte de negócios. Eu até criei novos hábitos, comprando uma
bicicleta, porque agora estava do lado de casa a oportunidade de praticar um
esporte. Não tinha mais desculpa”, afirmou.

A transformação

Com quase 1,7 km de extensão e 2,5 metros de largura, a ciclovia da Baden
Powell foi construída em 2016 no canteiro central da avenida, no trecho
entre as rotatórias com as vias Estados Unidos e São José dos Campos.

A ciclovia recebeu iluminação fotovoltaica e lixeiras, e a avenida também
foi recapeada e teve sua sinalização viária revitalizada, com 173 placas de
sinalização. A obra é resultado de um Termo de Compromisso Ambiental do
hotel The Royal Palm Plaza, firmado com a Secretaria do Verde, Meio Ambiente
e Desenvolvimento Sustentável. Os investimentos foram da ordem de R$ 411
mil.

Em agosto deste ano, foi inaugurado um trecho complementar de ciclovia, de
730 metros, no canteiro central da via, ligando o trecho já existente na
avenida, a partir da Avenida São José dos Campos, até a Avenida Washington
Luiz.

Valorização de imóveis anima mercado local

A corretora de imóveis Fabiana Borges atua na região do Jardim Nova Europa
há seis anos e atesta a valorização no bairro acima da média de Campinas no
mercado imobiliário. Segundo ela, desde 2016, as residências e comércios no
entorno da Avenida Baden Powell tiveram valorização de 20% a 30%. “Este
número é muito acima do normal, porque se trata de imóveis já construídos,
que deveriam seguir uma escala de valorização bem mais lenta. Nos últimos
anos muitas pessoas começaram a investir e reformar por aqui devido à
valorização excessiva”, explica.

Segundo ela, a procura segue intensa por um espaço na avenida, em sua grande
maioria lojas, restaurantes, e agora também escolas particulares.

Atualmente, o metro quadrado na Baden Powell gira em torno de R$ 7 mil,
valor que equivale a bairros de classe média alta como o Mansões Santo
Antônio. Além da ciclovia, Borges elenca outros fatores para a expansão em
ritmo acelerado da avenida e do bairro, como a proximidade com o condomínio
Swiss Park e o supermercado Pague Menos, além do recém-inaugurado Viaduto
Armindo Dias, localizado sobre a Rodovia Anhanguera. no acesso ao complexo
hoteleiro. (Correio Popular)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.