Busca por economia motiva investimento

Com os reajustes e as bandeiras tarifárias que regulam o mercado cativo de
energia, cada vez mais empresas e consumidores residenciais têm apostado em
alternativas para reduzir as despesas com energia elétrica. Segundo dados da
CPFL Paulista, distribuidora do Grupo CPFL que atende Americana e outros 233
municípios do interior paulista, além do Colégio Antares, outros 61 clientes
da cidade optaram pela geração solar distribuída até o final de junho,
totalizando 62 consumidores.

Esse número mostra um crescimento da fonte em Americana. Em 2016, 15
clientes na cidade possuíam placas solares instaladas. Neste período,
portanto, a geração solar distribuída teve um crescimento de 307% no
município, mostrando o crescente interesse pela solução.

A empresa explica que o primeiro passo para adotar a geração de energia
solar é analisar a conta de luz e o consumo, além de avaliar as condições
estruturais da instalação que receberá os painéis fotovoltaicos. A partir da
análise do consumo de energia, empresas como a Envo realizam o
dimensionamento (capacidade instalada, número de placas, inversor) do
sistema solar que será instalado na unidade consumidora do cliente.

O modelo mais tradicional de instalação das placas solares é o
aproveitamento dos telhados, onde há maior incidência solar sem sobras,
embora também haja a opção de instalar no solo. A partir de uma estrutura
que fixa as placas, a energia gerada vai para o inversor, equipamento que
faz a inversão da energia da corrente contínua para a corrente alternada,
mais usada no dia a dia.

Para que os consumidores possam usufruir do abatimento da conta de luz, é
necessário solicitar a homologação do sistema fotovoltaico à distribuidora
local. A concessionária verifica o projeto e a instalação, e realiza a troca
do medidor para um modelo bidirecional, que registra tanto a produção quanto
o gasto de energia.

Os créditos apurados podem ser utilizados pelo consumidor em até 60 meses.
Isso significa que, mesmo que o imóvel fique vazio por um período, o
benefício não será perdido. Além disso, os créditos gerados em uma unidade
consumidora em uma cidade podem ser usados por outro local em outro
município, desde que atendidos pela mesma distribuidora. Um cliente em
Americana pode usar os créditos para abater a conta de luz em Campinas ou
Valinhos, por exemplo. (Jornal Todo Dia)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.