Campinas ganha novo eixo imobiliário

A John Boyd Dunlop, maior avenida de Campinas – que rasga 15 quilômetros do
município, ligando a região central ao distrito do Campo Grande, no limite
com Monte Mor – se firma como importante eixo de expansão imobiliária. A via
concentra empreendimentos para todas as classes, com vocação determinada
para cada região. Fato é que a cidade cresce avenida afora, e os lançamentos
confirmam a reação do mercado.

O eixo atrai a atenção das principais empresas imobiliárias do País. Caso da
Lopes, por exemplo, fundada há 83 anos, e que há 12 anos opera em Campinas.
Só neste ano, já foram onze empreendimentos lançados na cidade. Outros
quatro serão entregues até dezembro.

“O resultado é o triplo do alcançado no ano passado: o setor vive um novo
momento” , afirma Paulo Pinheiro, diretor executivo da Lopes para o Litoral
e para o Interior paulista.

E o mais interessante é que os investidores são atraídos por uma
infraestrutura de serviços cada vez mais forte. A John Boyd, além de artéria
estratégica do trânsito, conta com comércio forte, hospital e equipamentos
públicos. Um estrutura que conquista até consumidores de mais poder
aquisitivo.

Bem diante do Hospital Celso Pierro, da PUC-Campinas, por exemplo, a Lopes
comercializa as unidades do Praticidade, um condomínio residencial, com
quatro torres, voltado à classe média. São apartamentos de 50 metros
quadrados a 60 metros quadrados, e valor médio de venda de R$ 300 mil. “É um
grande case de sucesso da região, graças à localização estratégica”, resume.

Do outro lado da avenida, o estande de vendas da GNO anuncia o Alto do
Ibirapuera. Cinco torres com apartamentos populares voltados aos
beneficiários do Minha Casa Minha Vida, cada um com avaliação de mercado a
partir de R$ 160 mil. Bem ali, ao lado de uma gleba verde preservada,
pertinho da universidade e do shopping.

A John Boyd se tornou um corredor de economia forte, atraente para todos os
públicos.

Naturalmente, o momento comemorado pelo mercado imobiliário representa mais
trabalho para a administração pública. O adensamento populacional notável
exige mais escolas, mais postos de saúde, transporte eficaz, mais
investimentos em segurança. E, por conta disso, audiências públicas em
outubro vão debater as regras para a qualificação do espaço urbano veja box
nesta página.

Intervenções importantes já acontecem ao longo da via. A John Boyd é
importantíssima para a instalação dos corredores do Bus Rapid Tansit (BRT),
sistema que promete aprimorar de maneira sensível o transporte coletivo.

Por toda a via, acontecem intervenções nas faixas de rolamento e os terrenos
são preparados para a construção de estações de transferência e terminal. As
obras buscam garantir fluidez no tráfego de veículos e, principalmente,
comodidade para a massa de usuários do sistema de transporte público.
(Correio Popular)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.