Construção civil impulsiona oportunidades de trabalho no país

Número de trabalhadores na construção cresce 30% em dois anos

Após o crescimento de 30% em dois anos, o número de trabalhadores na construção chega ao maior nível desde 2016. A atividade econômica representa um dos setores que mais têm gerado oportunidades de trabalho no País desde a queda acentuada no número de vagas em 2020, no início da pandemia de covid-19.

O número de pessoas que trabalham na construção subiu 29,8% nos últimos dois anos. O setor foi um dos responsáveis por reduzir a taxa de desemprego no País, que chegou a 9,8% em maio. A construção é o setor que mais cresceu em número de pessoas ocupadas entre maio de 2020 e maio de 2022.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país contou com 7,4 milhões de pessoas trabalhando no setor de construção no trimestre encerrado em maio – bem acima dos 5,5 milhões de dois anos atrás, quando a economia era afetada por uma onda de demissões em consequência da pandemia.

Francisco de Oliveira Lima Filho, Presidente da Habicamp: O setor da Construção Civil é fundamental para o desenvolvimento do Brasil.

Segundo o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, o setor da construção civil impulsiona a queda na taxa de desemprego no país. “O setor sempre representou o maior crescimento desde o início da pandemia, e por ser muito complexo e abranger diversos segmentos da economia, emprega muitas pessoas de forma direta ou indireta”, analisa Lima Filho.

Ao analisarmos dados anteriores, o número vem se mantendo nesse patamar desde o fim de 2021. Antes disso, a última vez que o Brasil teve essa quantidade de pessoas trabalhando na construção foi em julho de 2016. No pico da série histórica do IBGE, o Brasil chegou a ter 8,3 milhões de trabalhadores no setor, no trimestre encerrado em dezembro de 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.