Consumidor pós-pandemia: o que ele mais procura em um imóvel?

Cada vez mais é possível notar que, de fato, o mercado imobiliário driblou os impactos de pandemia e se mantém aquecido. Para se ter ideia, de acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário (PMI), realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP em maio de 2021 houve a comercialização de 5.883 unidades residenciais novas na cidade de São Paulo. O resultado foi 44,1% superior às vendas de abril (4.083 unidades) e ficou 144,6% acima das 2.405 unidades comercializadas em maio de 2020. O desempenho dos imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo foi o melhor dos últimos 17 anos, de acordo com o Secovi-SP.

 

Mas, existe um novo perfil de comprador, mais exigente e com novos desejos nesse novo cenário. De acordo com o Presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, o consumidor pós-pandemia está mais atento às necessidades do planeta e busca o conforto como prioridade. “A pandemia trouxe o isolamento social como forma eficaz de brecar o vírus e, com isso, as pessoas tem buscado um ambiente mais completo e confortável para passar o tempo com a família, além de tecnologias mais sustentáveis”, conta.

Acompanhe as novas exigências do consumidor para o mercado imobiliário:

  • Sustentabilidade

Ações mais conscientes já estavam em pauta e ganharam força com a pandemia. Os moradores estão mais atentos a soluções que contribuam para o reaproveitamento de água, por exemplo, ou melhor aproveitamento de luz natural. “São soluções inteligentes que, além de contribuírem para o planeta, permitem maior economia dos moradores, especialmente nesse momento em que já existe um esforço em reduzir gastos de energia devido à crise hídrica enfrentada no país”, explica o presidente.

 

  • Local para home office

 

O improviso de um local de trabalho dentro de casa foi necessário para muitas pessoas no início da pandemia. Porém, depois de mais de um ano desse cenário, os consumidores notam a necessidade de terem um espaço confortável e preparado para trabalhar no sistema home office. Por isso, a busca por imóveis maiores também têm apontado crescimento.

 

 

  • Facilidade e limpeza

 

A necessidade de redobrar os cuidados de higiene durante a pandemia também trouxe um novo desejo do consumidor, de obter materiais e soluções práticas, que permitam que o ambiente seja limpo com facilidade, especialmente em um momento em que as pessoas ficam mais tempo dentro de casa. “Os fornecedores de pisos, eletrodomésticos e até tapetes têm precisado se reinventar na busca por opções práticas e funcionais”, lembra Francisco Lima.

 

  • Áreas de lazer completas

 

Com as viagens e passeios limitados, a busca por imóveis que tenham espaço de lazer completo tem sido prioridade. Além disso, o aumento desenfreado do sistema delivery, que registrouaumento de 975% em abril de 2020 de acordo com o Jornal da USP, já traz uma nova necessidade aos condomínios: geladeira e espaço para recebimento de pedidos de refeição e até compras de supermercado.

 

  • Novas tecnologias

 

Os apartamentos estão cada vez mais conectados e os moradores procuram por tecnologias que contribuam para uma redução de custos no final do mês, como aparelhos de assistentes de voz, fechaduras por digital  e luzes automatizadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.