Índice que mede a inflação do aluguel aumenta 1,41% em abril

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), acumulou alta de 6,98% em 2022

Na última quinta-feira (28), foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), dados sobre alguns índices que medem preços ao produtor amplo, ao consumidor, nacional na construção e o índice geral de preços. Este último, o IGP-M, que mede a inflação do aluguel, subiu 1,41% em abril, ante 1,74% no mês de março. Com isso, o índice acumula alta de 6,98% em 2022 e de 14,66% em 12 meses. Em abril do ano passado, o índice havia subido 1,51% e teve alta de 32,02% em 12 meses.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPA) subiu 1,45% em abril, em março era de 2,07%. Em uma análise por estágios de processamento, a taxa do grupo Bens Finais aumentou 3,10% em abril. No mês anterior, era de 2,75%.

De acordo com o Ibre/FGV, o principal fator para esse resultado partiu do subgrupo de combustíveis para o consumo, que a taxa passou de 4,60% para 10,80%, no mesmo período. Já o índice relativo a Bens Finais, que exclui os subgrupos alimentos in natura e combustíveis para o consumo, subiu 2,04% em abril ante 1,56% no mês anterior.

Mais Taxas

A taxa do grupo de Bens Intermediários estava em 2,06% em março e foi para 3,40% em abril. O maior responsável por este número foi o subgrupo combustíveis e lubrificantes para a produção, cujo percentual foi de 8,02% para 12,04.

Em relação ao estágio das Matérias-Primas Brutas caiu 1,82% em abril, após registrar alta de 1,53% em março. O recuo da taxa se deu por conta de alguns grupos. São eles: soja em grão (7,28% para -7,02%), milho em grão (2,48% para -7,22%) e suínos (10,05% para -3,99%). Em sentido oposto, destacam-se os itens aves (1,77% para 15,47%), mandioca/aipim (-2,30% para 12,35%) e leite in natura (3,30% para 8,80%)”, informou a FGV.

Francisco de Oliveira Lima Filho, presidente da Habicamp

“São variações esperadas do mercado, se considerarmos o cenário pós-pandemia e de guerra, entre Rússia e Ucrânia, do mundo. Portanto, serve de alerta se atentar ao mercado. Nós sabemos que ano eleitoral e de Copa do Mundo interferem na economia, mas de maneira geral, a perspectiva do mercado é melhorar”, avalia o presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho.

INCC

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou variação de 0,87% em abril, ante 0,73% em março. Os três grupos que compõem o INCC registraram variações entre março e abril. Confira: materiais e equipamentos (0,29% para 1,35%), serviços (0,79% para 0,73%) e mão de obra (1,12% para 0,46%).

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.