Obras de implantação dos corredores do BRT geram 578 empregos

foto: divulgação – PMC – Principal obra na área de Mobilidade Urbana que Campinas recebe, desde a década de 1970, a implantação dos Corredores BRT (Bus Rapid Transit – Ônibus de Trânsito Rápido) está impulsionando a geração de emprego e renda no município. Desde que os primeiros trechos foram iniciados, em 2017, foram gerados 578 empregos com Carteira de Trabalho assinada.
Desse total, 64% dos trabalhadores residem em Campinas. São 371 moradores do município atuando nas obras, oriundos de 29 bairros diferentes. São eles: Botafogo, Campina Grande, Campo Belo, Campo Grande, CDHU Edivaldo Orsi, Centro, Chácara São Judas Tadeu, Chácara Vista Alegre, Chácaras Morumbi, DIC V (Chico Mendes), Eldorado dos Carajás, Jardim Campos Elíseos, Jardim Esplanada, Jardim Florence, Jardim Miriam, Jardim Nova América, Jardim Rosalina, Jardim Santo Antônio, Jardim Uruguai, Núcleo Residencial Nossa Senhora Aparecida, Ouro Verde, Parque Fazendinha, Paulicéia, Satélite Iris, Vida Nova, Vila Industrial, Vila União, Village Campinas e Viracopos.
“A implantação dos Corredores BRT está gerando empregos em pleno período de crise, recolocando profissionais no mercado de trabalho e colaborando para reaquecer a economia no município. O número de 578 empregos gerados é ainda mais expressivo quando levamos em conta que cada trabalhador gera renda para o sustento de três ou quatro pessoas de uma mesma família”, destaca o secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro. “Em muitos casos, a mão de obra é formada pelos próprios moradores das regiões impactadas pelas obras. São pessoas que estão construindo, com as próprias
mãos, um sistema de transporte mais eficiente, que irá beneficiar seus familiares, amigos e vizinhos”, completa.

Também atuam nas obras, 207 profissionais residentes em outros 16
municípios: Andradina, Belo Horizonte, Cubatão, Guarulhos, Hortolândia, Indaiatuba, Itapeva, Itapevi, Jundiaí, Leme, Paulínia, Ribeirão Preto, Santos, São Bernardo do Campo, São Paulo e Sumaré.
A partir do segundo semestre de 2018, com a expansão dos trechos em obras, o número de empregos gerados saltou de 67 postos, na fase de projetos, para 528 trabalhadores, na etapa atual de intervenções no viário. Profissionais de três áreas macro contribuem para que os Corredores BRT se tornem realidade no município: Administração, Engenharia e Produção. São projetistas, desenhistas, técnicos de segurança, engenheiros de campo, mestres e encarregados de obras, carpinteiros, serventes, mecânicos, pedreiros; além de profissionais de recursos humanos, financeiro,
almoxarifado, qualidade etc.
Pelo Consórcio Corredor BRT Campinas, formado pelas empresas Arvek, D. P. Barros, Trail, Enpavi e Pentágono, que administra o Lote 1 do BRT campineiro, foram 136 postos de trabalho gerados. Os trabalhadores deste lote atuam nas obras do Corredor Perimetral e em um trecho do Corredor Campo Grande, que abrange as regiões do Bonfim, Centro, Cidade Jardim, Jardim Miranda, Pompéia, Vila Aurocan e Vila Teixeira. Mais de 60% são moradores de Campinas.

Pelo Lote 2 são 235 trabalhadores contratados pela empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio. Essa equipe atua em três trechos do Corredor Campo Grande, que passam pelas regiões do Jardim Aurélia, Jardim Florence, Jardim Garcia, Jardim Londres, Rodovia dos Bandeirantes e Satélite Íris. Em torno de 66% residem em Campinas. Já a execução do Lote 3 envolve 45 pessoas, contratadas pela empresa Compec Galasso. Os trabalhadores atuam no eixo da Avenida das Amoreiras e 60% são moradores do município.

Pelo Lote 4, já foram gerados 162 empregos, por meio do Consórcio BRT Campinas, integrado pelas empresas Artec e Metropolitana. As equipes trabalham junto às obras que ocorrem nas avenidas Ruy Rodriguez e Camucim; e na Rodovia dos Bandeirantes. Mais de 65% desses trabalhadores residem no município. (Prefeitura de Campinas)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.