Alto padrão comanda a retomada

O mercado imobiliário dá sinais de recuperação em Campinas após seguidos anos de instabilidade. E os sinais começam a vir de cima: em 2017, houve aumento na procura principalmente para compra de imóveis de alto padrão. É o que mostra a pesquisa divulgada na última semana pelo Grupo ZAP Vida Real. O levantamento aponta que a compra ou aluguel de imóveis em bairros considerados nobres da cidade cresceu entre 19% (para unidades habitacionais com 1 dormitório) a 46% (2 dormitórios). Mas o aumento maior, de 52%, ficou com os imóveis com 3 dormitórios nessas regiões.

Todos os números são em comparação com 2016. Atualmente, o metro quadrado de um apartamento em região nobre de Campinas custa, em média, R$ 5.598,00 segundo o índice FipeZAP. Os bairros mais desejados, pela ordem, são Cambuí, Centro, Mansões Santo Antonio, Botafogo e Taquaral.

A pesquisa ainda traz outro ponto que chama a atenção: o número de pessoas que deseja comprar um imóvel é maior do que as que preferem a locação – a relação, segundo os dados, é de 60% para compra e 40% para aluguel. Entre os que desejam comprar o seu imóvel, mais da metade (52%) prefere uma casa ao invés de um apartamento, enquanto no caso de locação essa relação se inverte – os apartamentos são os mais procurados também por mais da metade dos entrevistados (54%).

De acordo com Cristiane Crisci, gerente de inteligência de mercado do Grupo ZAP, os números revelam uma retomada de um mercado que passou por sua pior retração da história diante da crise econômica a partir de 2014. “Esse crescimento já reflete que o poder aquisitivo dos moradores da região está se recompondo, o que por sua vez aponta que para os próximos anos podemos esperar um interesse crescente em imóveis. Ainda estamos no início desse processo, mas de fato a retomada já está começando”, disse.

O crescimento do mercado imobiliário em Campinas acompanha a evolução do País. Na avaliação do Secovi, o sindicato que reúne as empresas dedicadas à compra, venda e locação e administração de imóveis do Estado de São Paulo, o mercado imobiliário brasileiro tende a crescer na casa dos dois dígitos este anos – pelo menos 10%. Para Frederico Marcondes César, vice-presidente do Interior do Secovi, a procura por imóveis de alto padrão e também os chamados “dormitórios econômicos” deve seguir em alta em Campinas nos próximos meses.

“A expectativa é que em curto ou médio prazo o mercado da construção civil retome a sua produção. Temos percebido uma movimentação bastante representativa em nossos plantões de venda e mídias eletrônicas. Não se trata de nenhuma euforia desenfreada, mas de fato estamos caminhando para a normalidade. O que estamos vendo à frente é retomarmos ainda no segundo semestre a nossa média histórica de vendas”, completou. (Correio Popular)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.