Artigo: gestão pública para uma cidade inteligente e sustentável

Neste artigo, o Prof. Carlos Alexandre Silva, especialista em Eco Urbanismo e vice-presidente de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Habicamp, fala sobre gestão pública para uma cidade inteligente e sustentável. Confira abaixo!

 

Do Local para o Global, este é nosso entendimento para promover uma política pública focada na adoção de premissas e da consciência de que ações locais

Prof. Carlos Alexandre Silvaf

provocam impactos globais, temos clareza de que pretendemos promover os Bons Impactos.

Como objetivo geral, adotarmos o compromisso como Cidade signatária do Programa cidades Sustentáveis, balizados na responsabilidade global pela paz, justiça, equidade, desenvolvimento sustentável, proteção ao clima e á biodiversidade.

Campinas é reconhecida como Metrópole de uma Região importante do estado de São Paulo, nosso novo Plano Diretor Estratégico nos define uma vocação através de um “Urbanismo Ideal”, uma cidade compacta, com atividades de comércio, serviços, lazer, educação e cultura. Onde as empresas devem estar próximas as casas de seus colaboradores, e as pessoas ocupando e se empoderando dos espaços públicos. No saneamento os serviços de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto devem atingir 100% da cidade.

Uma cidade é muito mais que um modelo de planejamento, é muito mais do que um instrumento de política econômica, é muito mais do que um núcleo de polarização social. A alma de uma cidade, a força vital que a faz respirar, progredir, existir – reside em cada um dos seus cidadãos, em cada homem que nela aplica e nela esgota o sentido de sua vida.

                                                                                                                                    – Jaime Lerner

A mobilidade, deve oferecer integração entre os modais, ônibus, metrô, trens, automóveis e bicicletas, com predominância ao transporte público. No Meio Ambiente alcançarmos a meta de termos rios e mananciais despoluídos, preservação das várzeas e cultivo de hortas comunitárias.

O lixo 100% de coleta com reciclagem, entrega voluntária, Centros de Tratamento de resíduos eficientes e controlados, inclusão social dos catadores, com pagamento pelos serviços ambientais prestados.

A implementação de um sistema de Comando Central de controle de abastecimento de água e energia, sistemas inteligentes em semáforos, edifícios, através da tecnologia avançada, será essencial.

Estamos em um mundo globalizado, nossa contribuição local para o desenvolvimento sustentável mundial será cada vez mais importante, em razão dos impactos planetários relacionados ás mudanças climáticas e à perda de biodiversidade.

O  parâmetro para Campinas de desenvolvimento deveria necessariamente estar em conformidade com a ONU e dialogar com os ODS – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 7 – Energia Limpa e Acessível, 11 – Cidades e Comunidades Sustentáveis e o 13 – Ação Contra a Mudança Global do Clima.

Estamos iniciando novo pleito eleitoral municipal, espero mesmo que a futura gestão, tenha a responsabilidade de transversalizar estas diretrizes como matriz de seu planejamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.