Burocracia emperra a revitalização no Botafogo

A revitalização do bairro Botafogo, prometida há anos pela Administração
Municipal de Campinas, e aguardada há tempos pelos moradores da região,
enfrenta um entrave: a burocracia. O retrato dessa situação é o prédio do
antigo hospital Coração de Jesus, que completa um século de vida em 2019,
sem utilização, com mato alto, sem a preservação necessária e nem o resgate de sua história. O prédio, que tem 3,6 mil metros quadrados de área
construída, em um terreno de 7,5 mil metros quadrados, está desocupado pelo menos desde o início dos anos 2000.

A arquitetura do antigo hospital, inaugurado em 1919, é eclética, com
detalhes neorrenascentistas. Em dezembro de 2008, a resolução número 74
tombou a fachada, a volumetria, gabarito de altura, cobertura, esquadrias e
pisos centenários. A lei determina a preservação do prédio e de elementos da quadra envoltória. No ano passado, o Correio mostrou que o local era cenário de abandono. Com mato alto, janelas de madeira sem manutenção e caindo aos pedaços, além de pichação. O imóvel pertence a um grupo de empreendedores paulistanos, que mantém vigilância no local para evitar vandalismo ou invasões.

Ainda em maio do ano passado, Daisy Ribeiro, da Coordenadoria Setorial do
Patrimônio Cultural (CSPC), afirmou que fiscalizações constataram manutenção precária do terreno e desrespeito ao patrimônio. Isso, segundo ela, causaria punições. Os técnicos consideravam a possibilidade de levar o caso ao Ministério Público (MP). “O proprietário será notificado sobre cuidados que não podem mais ser adiados. É um prédio belíssimo, amado pelos campineiros. É um patrimônio da nossa cultura”, disse, à época.

Decorrido um ano dessa situação, Dayse explicou que foi feito contato com a empresa proprietária do prédio, que mandou fazer uma limpeza no terreno e algumas intervenções de urgência no telhado e forro. “Eles estavam num momento de passagem de proprietário. Não houve nenhuma multa ou sanção”, admite Dayse.

Ela conta que está em contato com a empresa proprietária do prédio. “Estamos em contato e eles estão preparando um projeto para a intervenção de recuperação do prédio”, afirma. No entanto não há prazo para que esse
projeto seja finalizado e apresentado.

Após esse trâmite, o projeto ainda precisa ser avaliado pelos setores
responsáveis da Prefeitura e só depois de aprovado é que alguma intervenção pode ser feita no local. A reportagem tentou contato com a empresa dona do prédio, que tem sede em São Paulo, mas o responsável não foi encontrado para dar detalhes do projeto e nem retornou aos recados deixados. Ainda segundo Dayse, o prédio foi incluído em um programa de visitação a áreas históricas de Campinas. História O processo de tombamento do prédio do antigo hospital Coração de Jesus foi aberto em 1999, logo após a transferência das unidades de ginecologia, obstetrícia e pediatria que funcionavam ali para o Hospital Beneficência Portuguesa. (Correio Popular)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.