Confiança do empresário da construção cresce em agosto

O índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção)
apresentou alta de 2,9 na passagem de julho para agosto, atingindo 51,8
pontos, segundo dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

A melhora no ICEI ocorreu em função do componente de Expectativa, que ficou
em 55,3 pontos, já que o Indicador de Condições Atuais, situou-se abaixo da
linha divisória de 50 pontos, o que aponta que as condições correntes de
negócio da indústria da construção continuam mais negativas que há seis
meses.

Os indicadores de nível de atividade e de número de empregados atingiram, em
julho, 48,0 e 46,2 pontos, variação positiva de 1,3 e de 2,8 pontos,
respectivamente, ante junho. Na comparação com julho de 2017, os indicadores
cresceram 3,7 e 3,6 pontos, respectivamente, o que indica menor ritmo de
queda do nível de atividade e do número de empregados.

O indicador de nível de atividade em relação ao usual cresceu 0,3 ponto em
julho ao atingir 35,9 pontos. Apesar da aproximação do nível atual com o
usual para o mês, o indicador segue abaixo de 50 pontos, o que indica que o
setor continua operando abaixo do normal.

A Utilização da Capacidade Operacional (UCO) registrou 58% em julho, um
ponto percentual inferior ao observado em junho. Isso significa que a
indústria da construção operou com 42% das máquinas, equipamento e pessoal
parados no mês passado. Na comparação com a média histórica para o mês, a
UCO apresentou queda em cinco pontos percentuais.

Todos os indicadores de expectativa apresentaram crescimento e ficaram acima
dos 50 pontos em agosto. O resultado indica expectativa de crescimento do
nível de atividade, de novos empreendimentos e serviços, do número de
empregados e compras de insumo e matérias-primas.

Os indicadores de expectativa do nível de atividade e de novos
empreendimentos e serviços aumentaram 1,1 e 1,4 ponto, respectivamente,
atingindo 52,6 e 51,6 pontos, em agosto. Os indicadores de compras de
insumos e matérias-primas e do número de empregados cresceram 0,7 e 2,0
pontos, respectivamente, alcançando 51,2 pontos, em ambos os casos.

O índice de intenção de investimento (compras de máquinas e equipamentos,
pesquisa e desenvolvimento, inovação de produto ou processo) cresceu 0,8
ponto na passagem de julho para agosto, atingindo 32,1 pontos. Ainda assim,
o índice segue muito baixo, o que indica pouca intenção dos empresários do
setor em investir. A intenção de investimento varia de zero a cem pontos e
quanto menor o índice, menor a disposição dos empresários para fazer
investimentos.

Ressalte-se ainda, que na comparação com agosto de 2017, houve crescimento
de 3,0 pontos; e que o índice encontra-se acima da média histórica para o
mês, de 31,6 pontos.

O índice de Confiança do Empresário da Construção (ICEI-Construção) subiu
2,9 pontos em agosto, ao atingir 51,8 pontos. Com isso, o índice ultrapassou
a linha divisória de 50 pontos, o que indica um retorno da confiança dos
empresários do setor.

O indicador de Condições Atuais registrou 45,0 pontos, sinalizando que as
condições correntes de negócio seguem apresentando piora. O indicador de
Expectativa cresceu 3,0 pontos para 55,3 pontos, o que se traduz em maior
otimismo dos empresários para os próximos seis meses.

Para finalizar, importante destacar que apesar da melhora, o ICEI
encontra-se em patamar inferior ao registrado em maio, antes da paralisação
do transporte de cargas rodoviário, quando alcançou 53,8 pontos.
(Investimentos e Notícias)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.