Desemprego cai para 13,2% no trimestre encerrado em agosto, aponta IBGE

A queda representa 1,3 ponto percentual referente ao mesmo mês de 2020

FONTE: Agência Brasil

O trimestre móvel encerrado em agosto registrou 13,2% de taxa de desocupação, o que representa uma queda de 1,4 ponto percentual na comparação com o trimestre finalizado em maio, quando o desemprego fechou em 14,6% da população.

Na comparação anual, o recuo chegou a 1,3 ponto percentual em relação a agosto de 2020 (14,4%), de acordo com os dados revelados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua Mensal, divulgados hoje (27 de outubro) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa aponta que a população desocupada caiu 7,7%, ficando em 13,7 milhões de pessoas, na comparação com o trimestre terminado em maio de 2021, e ficou estável na comparação anual. Já a população ocupada cresceu 4%, alcançando 90,2 milhões de pessoas na comparação trimestral.

Em relação a agosto do ano passado, o aumento foi 10,4%, ou mais 8,5 milhões de pessoas. Nível de ocupação O IBGE aponta que o percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar, o chamado nível da ocupação, foi estimado em 50,9%, o que representa aumento de 2 pontos percentuais, no trimestre, e 4,1 pontos percentuais, no ano.

A taxa de subutilização caiu 1,9 ponto percentual, no trimestre, e 3,2 pontos percentuais, na comparação anual, ficando em 27,4%. São 31,1 milhões de pessoas subutilizadas, o que representa queda de 5,5%, na comparação trimestral, e de 6,6%, no ano. Por outro lado, a população subocupada por insuficiência de horas trabalhadas cresceu 4,7%, no trimestre, e subiu 29,2%, no ano. A parte da população fora da força de trabalho está em 73,4 milhões de pessoas, queda de 3,2% no trimestre e de 7,3%, na comparação anual. A população desalentada soma 5,3 milhões de pessoas ou 4,9%, queda de 6,4%, ante o trimestre anterior, e de 8,7%, em relação a agosto de 2020.

O presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, salienta que a queda de desempregados já aponta para um cenário mais promissor com a retomada pós-pandemia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.