Economia regional: PIB da RMC deve crescer mais que a média paulista em 2019

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo calculado para 2018 pela Fundação Seade é de 2,3%. Esse patamar é superior ao projetado pelo Boletim Focus para a economia brasileira no mesmo período, 1,4%. Para 2019, as projeções indicam que o PIB paulista deverá crescer 1,5%, segundo o cenário base.

Entre os setores de atividade, a Indústria deverá crescer 3,2% em 2018,
destacando-se a indústria de transformação (4,5%). Para a agropecuária, é
previsto um avanço de 2,3% e para o setor de serviços, 2,0%.

A perspectiva de crescimento do setor do setor de serviços é explicada pelo
bom desempenho da atividade comercial do varejo e atacado no Estado.No acumulado dos últimos quatro trimestres, o Valor Adicionado (contribuição
das diferentes atividades econômicas no PIB) elevou-se em 2,2% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios registraram crescimento de 3,6%.

A atividade econômica do Estado cresceu 0,7% entre o 2º e o 3º trimestres de 2018, com taxas positivas em todos os setores: agropecuária (2,0%),
indústria (0,2%) e serviços (1,0%).Na comparação com o mesmo trimestre de 2017, o PIB do 3º trimestre de 2018 cresceu 1,0%, com retração na agropecuária (-1,1%) e na indústria (-0,5%),
enquanto os serviços avançam 1,5%.

A economia retraiu-se em 0,5% entre setembro e outubro de 2018, na série
livre de efeitos sazonais, com crescimento na agropecuária (0,8%) e
decréscimos nos serviços (-0,2%) e na indústria (-1,1%).

Já no acumulado de 12 meses, o PIB paulista evolui 2,1%, com avanços em
todos os setores: indústria (2,0%), serviços (2,0%) e agropecuária (0,9%).

REGIÕES

Entre as regiões metropolitanas, sobressaem os crescimentos das RMs de
Sorocaba (6,2%), Vale do Paraíba e Litoral Norte (3,4%) e Campinas (2,9%).
Já as Regiões Metropolitanas de São Paulo e da Baixada Santista devem
crescer abaixo da média estadual (1,9% e 1,8%, respectivamente). O Produto Interno Bruto do Estado de São Paulo do 3º trimestre de 2018 foi estimado em R$ 570,4 bilhões, sendo R$ 481,2 bilhões referentes ao Valor Adicionado e R$ 89,3 bilhões aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios. Em termos anualizados, correspondendo à soma dos últimos quatro trimestres, o PIB do Estado chegou a R$ 2,2 trilhões, com um Valor Adicionado de R$ 1,8 trilhão e R$ 346,0 bilhões referentes aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

RECUPERAÇÃO SÓ EM 2020

A partir da última recessão sofrida pela economia paulista entre o 2o
trimestre de 2014 e o 4o trimestre de 2016, caso se confirmem a previsão de
2,5% para 2018 e um crescimento médio trimestral de 0,7%, o PIB do Estado de
São Paulo recuperará o nível pré-crise no 3° trimestre de 2020.

E, considerando as projeções para 2019 (1,5%), esse mesmo patamar será
atingido novamente apenas no 2° trimestre de 2021 (média trimestral de
0,6%). (Diário do Comércio)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.