Estudo alia área residencial e sustentabilidade

Com a intenção de construir cidades mais compactas, aliando áreas arborizadas e qualidade urbanística para os moradores, uma pesquisa da Escola Superior de Agricultura da Esalq/USP concluiu que a verticalização não é o suficiente. Segundo o trabalho de Patrícia Sanches, é necessário que as quadras sejam pensadas coletivamente, já que o crescimento urbano horizontal provoca desmatamento e eleva gastos com infraestrutura e os índices de poluição.

“Nosso olhar não foi para parques e praças, mas sim para áreas residenciais, porque os nossos bairros formam o maior índice de uso do solo. Então, junto com áreas de lazer, casas e prédios precisam ser mais sustentáveis”, diz.

A tese de doutorado de Patrícia foi desenvolvida no Programa de Pós-graduação em Recursos Florestais, com orientação do professor Demóstenes Ferreira da Silva Filho, do Departamento de Ciências Florestais, e tem outras conclusões. O estudo sugere, por exemplo, que as edificações sejam pensadas dentro de uma unidade, como de um quarteirão inteiro, ou que os empreendimentos tenham relação arquitetônica e urbanística com os prédios que compõem a quadra.

Ainda assim, não vê construções cada vez mais altas como soluções, pois a verticalização nem sempre significa que o solo seja liberado para as árvores. Para isso, comparou São Paulo, o Distrito Federal e Berlim, na Alemanha. “A pesquisa estudou diversos tipos de desenhos urbanos nessas três cidades. A ideia foi procurar em qual deles poderia adensar sem perder área verde. E quando o foco é a quadra e não o lote, o resultado é bem melhor”, afirma.

Em São Paulo, os bairros verticais não eram os mais densos e tinham um percentual baixo de cobertura arbórea. Os bairros mais verdes e mais densos estavam em Berlim, com edifícios que não passavam de sete andares. Patrícia Sanches espera que os resultados possam influenciar políticas públicas no planejamento de novas áreas urbanas em expansão e na revitalização de municípios existentes, a partir de diretrizes e parâmetros de desenho urbano. (CBN Campinas)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.