Financiamento coletivo auxilia na construção de empreendimentos

Nos últimos anos, nada transformou tanto a forma de investir quanto as
plataformas digitais. Aplicar em ações e títulos se tornou gradativamente
mais acessível, abrindo espaço para o surgimento de novas modalidades de
investimento, como o crowdfunding, que se tornou uma ferramenta de
viabilização de projetos indispensável em diversos setores. O potencial
desse modelo de negócio tem se mostrado efetivo no setor imobiliário. Muitas construções, loteamentos e obras de diferentes portes estão ocorrendo graças ao crowdfunding de investimentos, que foi regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), em 2017 no Brasil.

Para as pequenas e médias empresas é uma ótima alternativa, pois antes só
restavam o financiamento direto com os bancos ou a captação através de
grandes investidores e family offices. A plataforma criada pela Glebba
Investimentos, por exemplo, é uma das que possibilitam o levantamento
coletivo de recursos para viabilizar loteamentos e empreendimentos reunindo os recursos de muitas pessoas.

“O Brasil possui várias possibilidades de desenvolvimento imobiliário,
muitas das quais poderiam ser captadas via plataformas de crowdfunding. O mercado imobiliário é um dos mais sólidos e tradicionais e, por isso,
precisamos investir em novas formas para fazer esse setor crescer ainda
mais”, explica Francisco Perez, Head de Investimentos da Glebba, primeira
fintech do Brasil a fazer crowdfunding imobiliário para viabilizar a
construção de loteamentos, que ainda completa: “Apesar de muito
representativo na economia imobiliária brasileira, o mercado de loteamentos ainda é desconhecido por muitos e praticamente inexistente na área de investimentos, por isso, resolvemos apostar nesse setor.

De acordo com dados do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), entre 2015 e
2016, o setor de loteamentos lançou 67,4 mil unidades habitacionais,
enquanto as incorporadoras de prédios construíram 109,6 mil.

Perez lembra que os bairros planejados estão em ascensão no mercado
imobiliário e, só no estado de São Paulo, houve um aumento de 38% no setor, comparando com o mesmo período de 2017.

“O crowdfunding para parcelamentos de solos é uma ótima alternativa para
ajudar acelerar o processo de construção desses empreendimentos. Além de ser uma alternativa rentável para o investidor, pois o retorno costuma ser maior do que investimentos de renda fixa, como o CDB e poupança, ganhando acima da taxa do Selic”, finaliza o empreendedor.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.