Governo considera pausar prestações de imóveis por até 6 meses, diz Caixa

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse nesta sexta-feira, 27, que o governo considera pausar as prestações de imóveis por até seis meses. Inicialmente, foi postergado o pagamento por dois meses – pedido já feito por cerca de 800 mil famílias. Agora, o governo ampliará para três meses.

“Se a crise se intensificar, vamos continuar postergando parcelas em todas as linhas. Pode chegar a até seis meses”, declarou Guimarães.

Ele destacou que os juros do cheque especial e o rotativo do cartão de crédito chegaram na quinta a 2,9% ao mês, mas que a intenção é reduzir ainda mais.

“Faremos isso matematicamente”, declarou Guimarães. “A população terá mais dinheiro sobrando para pagar contas”, disse.

Crédito imobiliário com recurso da poupança sobe 31% em fevereiro

O crédito imobiliário com recursos da poupança movimentou R$ 6,38 bilhões em fevereiro, com queda de 10,7% em relação a janeiro e alta de 31% frente a fevereiro do ano passado, segundo a Abecip, associação das instituições que oferecem essa modalidade de crédito.

No acumulado de 12 meses (março de 2019 a fevereiro de 2020), os empréstimos para aquisição e construção de imóveis somaram R$ 82,26 bilhões, com alta de 37,2% em relação ao apurado nos 12 meses anteriores.

A Caixa se manteve na liderança do setor, com R$ 2,353 bilhões financiados nas modalidades construção e aquisição em fevereiro. O Bradesco ficou em segundo lugar, com R$ 1,593 bilhão, e o Itaú Unibanco apareceu em terceiro, com R$ 1,376 bilhão. (Valor)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.