Índice do aluguel deve cair neste mês

A segunda prévia do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) de novembro
ficou negativa em 0,35%, enquanto em outubro houve alta de 0,97%. O mês deve
fechar com deflação entre 0,35% e 0,45%.

O índice, que corrige o valor do aluguel no Brasil, também virá baixo em
dezembro. Ainda assim, no fechamento de 2018, a alta do IGPM será o dobro da
do Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) – prevista para 4,1% -, confirmando
que este ano foi “apertado” para os produtores e para as empresas, disse o
pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas
(Ibre-FGV), André Braz.

“A baixa demanda, a atividade econômica fraca e o elevado nível de
desemprego limitaram o repasse de preços por parte das empresas aos
consumidores”, destaca Braz.

Os reajustes nos preços da gasolina e do diesel e as fortes variações das
commodities agrícolas e industriais foram os principais fatores que
pressionaram o IGPM este ano.

No ano até outubro, a inflação do grupo de Bens Intermediários, onde estão
combustíveis, acumulou alta 18%, enquanto o grupo de Matérias-Primas, no
qual se incluem as grandes commodities (como soja, milho, minério de ferro,
por exemplo) registra elevação de 15,5%. Os bens finais, por sua vez, que
estão mais próximos do consumidor, subiram 5,85% no ano.

Detalhes

Na segunda prévia do IGP-M de novembro, a taxa do Índice de Preços ao
Produtor Amplo (IPA) caiu 0,62%, ante alta de 1,24% no segundo decêndio de
outubro. Dentro do IPA, os Bens Finais caíram 0,45%, enquanto os Bens
Intermediários recuaram 0,27%. Já as Matérias-Primas Brutas registraram
diminuição de 1,24%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), por sua vez, variou 0,11% no segundo
decêndio de novembro, ante 0,48%, no mesmo período do mês anterior. Cinco
das oito classes de despesa componentes do índice registraram decréscimo em
suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Transportes
(1,31% para 0,15%). Já a taxa da gasolina passou de 4,54% para -0,08%.

Por fim, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,28% no
segundo decêndio de novembro. No mês anterior, este índice havia registrado
alta de 0,36%. O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços subiu
0,62%, resultado acima do apurado em outubro (+0,53%). (DCI)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.