Maternidade de Campinas inicia reforma de R$ 10 mi

A Maternidade de Campinas anunciou nesta terça-feira (30) uma reforma para
ampliar seu número de leitos de 266 para 300. O investimento é de R$ 10
milhões, com recursos de parceiros e de campanhas de arrecadação junto à
sociedade. A medida foi anunciada por ocasião do aniversário de 105 anos do
hospital.
A Maternidade é referência na saúde da mulher. O hospital faz cerca de 900
partos por mês, sendo que os atendimentos às pacientes da rede pública
ultrapassam 60%. Trata-se da maior maternidade em número de nascimentos do
interior do Brasil.
Na primeira fase da reforma, as obras priorizarão a área externa, a
recepção, o 4º pavimento – hoje destinado às internações da saúde
suplementar – e as instalações do IPC (Instituto de Patologia de Campinas).
As obras serão gradativas e promovidas de acordo com os ingressos dos
recursos financeiros e, quando concluídas, devem modernizar o hospital.
“Apesar de contar com manutenção constante, o envelhecimento da estrutura do
hospital tornou inviáveis algumas adequações. Por isso, tomamos fôlego para
promover o ‘retrofit’ e permitir que a Maternidade acompanhe o crescimento
da demanda e mantenha a excelência em atendimento”, diz o presidente do
hospital, Carlos Ferraz.
A Maternidade de Campinas nasceu em 1913 para ser o primeiro hospital de
Campinas com condições de oferecer às mulheres o apoio e o cuidado
necessários no momento do parto. Os primeiros prédios, que funcionam desde
1916 e 1965, respectivamente, foram construídos com a ajuda da população,
motivada pela vontade de ter uma maternidade de referência na cidade.
Hoje, a Maternidade de Campinas é referência em banco de leite e apresenta o
menor índice de mortalidade dentro da UTI Neonatal. Quase a metade (48,46%
ou 10.885) do total de nascimentos (22.460) na RMC (Região Metropolitana de
Campinas) em 2017 aconteceu na Maternidade, que conta com 683 médicos e
1.112 colaboradores celetistas.
Em 2017, foram registradas 23.549 internações, 64.386 atendimentos na
emergência, 800 internações em UTI neonatal e 97.000 pacientes atendidos.
Dos 40 leitos disponíveis na UTI Neonatal, 22 são destinados para
atendimento ao SUS Sistema Único de Saúde.
Para as obras e até para a aquisição de novos equipamentos, a sociedade
campineira poderá contribuir com qualquer quantia, bastando para isso seguir
as orientações disponíveis no site
maternidadedecampinas.com.br.
“Precisamos de um envolvimento maior da sociedade como um todo e,
principalmente, do empresariado para ajudar a Maternidade a estar alinhada
aos novos tempos e às novas necessidades que se apresentam. Temos certeza de
que muita gente vai ajudar, pois temos o reconhecimento do serviço prestado
pelo hospital à cidade”, acredita Carlos Ferraz. (A Cidade On)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.