Caged de julho de 2018 tem a melhor geração, no período, de emprego formal, em Campinas e RMC

A Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) informou, com base no
Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do
Trabalho, que em julho Campinas teve saldo positivo de empregos com 744
contratações, uma queda de 29,28% em relação às 1.052 contratações de julho
de 2017. No acumulado do ano, de janeiro a julho de 2018, foram contratados
4.257 trabalhadores, cerca de 2.039,20% acima das 199 contratações de 2017.
Em julho de 2018, a Construção Civil e a Administração Pública eliminaram 63
postos, mas a Indústria, os Serviços, o Comércio e a Agropecuária, geraram
795 postos. “Como se observa, os números do Caged de julho surpreenderam o
mercado de trabalho, que no mês anterior mostrava a primeira queda no nível
do emprego do ano, e agora, apresenta uma boa geração positiva, admitindo
bem mais que demitindo”, destaca o diretor de Economia da Acic, Laerte
Martins.

Na Região Metropolitana de Campinas (RMC), em julho, houve a geração de 817
postos provenientes da admissão de 28.119, contra o desligamento de 27.302
trabalhadores.

Em comparação com julho de 2017, houve uma redução de 75,17% sobre os 3.291
contratados. No acumulado do ano, de janeiro a julho de 2018 foram
contratados 9.562 trabalhadores, cerca de 127,94% acima das 4.195
contratações de 2017. “Destaca-se no mês de julho de 2018, que a Indústria,
a Construção Civil e a Administração Pública, eliminaram 576 postos, e os
Serviços, o Comércio e a Agropecuária, geraram juntos, 1.310 postos”, revla
Martins.

Em Campinas e Região o período de janeiro a julho de 2018, é o melhor dos
últimos quatro anos. “Após a greve dos caminhoneiros e a crise da falta dos
combustíveis, que praticamente parou o país, a economia voltou a reagir,
provocando contratações, ainda que pequena, mas necessária para combater o
desemprego, que está acima dos dois dígitos (12 a 13%)”, finaliza Martins.

A nível Nacional, o Caged de julho apresenta um saldo positivo de 47.319
postos de trabalho, relativo ao total de admitidos de 1.219.187
trabalhadores, contra o total de desligados de 1.171.868 empregados.

No período de janeiro a julho foram gerados 448.263 postos, 250,32% acima
dos 127.960 criados em 2017. Nos últimos 12 meses foram gerados 286.121
postos, enquanto em 2017 foram eliminados 602.201) postos. (Panorama de
Negócios)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.