Construção civil abre 837 vagas na Região Metropolitana de Campinas em junho

Os números do Caged (Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do mês de junho, divulgados hoje (25), reforçam a retomada da construção civil na Região Metropolitana de Campinas
(RMC), iniciada em janeiro. O setor abriu nos 20 municípios que formam a RMC no mês passado 837 postos de trabalhos. Com isso, o primeiro semestre
terminou com 2.289 contratações formais com carteira assinada. No mesmo
período do ano passado as construtoras haviam eliminado 1.210 postos de
trabalho.

Junho foi o sexto mês consecutivo com numero maior de contratações que
demissões no setor. Dez dos 20 municípios fecharam com saldo positivo.
Indaiatuba (303), Campinas (302) e Paulínia (242) foram as cidades onde
tiveram os maiores números de contratações formais. Por outro lado,
Cosmópolis (63), Santa Bárbara D’Oeste (53) e Americana (51) tiveram os
maiores números de vagas eliminadas.

SEMESTRE

No acumulado de janeiro a junho, a construção civil da RMC reverteu o quadro registrado no mesmo período de 2018. No ano passado, no mesmo período, foram registradas 11.232 admissões contra 12.442 desligamentos. Em 2019, o saldo é de 14.608 admissões e 12.319 demissões.

Dos 20 municípios, 14 acumulam saldo positivo. Indaiatuba lidera as
contratações, com 1.133 trabalhadores, seguida por Campinas (1.012) e
Itatiba (100). Ainda continuam com saldo negativo (Artur Nogueira (03),
Engenheiro Coelho (01), Hortolândia (51), Jaguariúna (21) e Paulínia (279).

Para o presidente da Associação Regional da Construção de Campinas e Região (Habicamp), Francisco de Oliveira Lima Filho, mesmo diante de um quadro político e econômico cheios de incertezas, a construção vem mostrando um desempenho positivo e sustentável neste ano. “Os números de contratações refletem o otimismo dos empresários do setor, mesmo cautelosos no primeiro semestre”, explica.

“Temos visto, principalmente em cidades com Campinas e Indaiatuba, um grande número de lançamentos imobiliários desde janeiro, por conta da demanda do mercado. Isso tudo leva a novas contratações para a retomada das obras, com tendência se melhorar ainda mais no segundo semestre”, diz Oliveira Lima. “Com a reforma previdenciária próxima de ser aprovada, a injeção de recursos do FGTS na economia, aprovação de outras medidas econômicas e redução de burocracia que devem ser anunciadas nos próximos meses, estão trazendo de volta um quadro ainda mais positivo e isso vai se refletir em novos investimentos e contratações por parte das construtoras de trabalhadores e profissionais prestadores de serviços”.

Cidade

JUNHO

No ano de 2019

CIDADE

ADM

DEM

SAL

ADM

DEM

SALDO

Americana

104

155

– 51

945

907

38

Artur Nogueira

16

05

11

77

80

– 03

Campinas

1.078

776

302

5.434

4.422

1.012

Cosmópolis

36

99

– 63

288

287

01

Eng. Coelho

2

01

01

03

04

– 01

Holambra

09

02

07

63

41

22

Hortolândia

77

86

– 09

378

429

– 51

Indaiatuba

489

186

303

2.436

1.303

1.133

Itatiba

88

68

20

540

440

100

Jaguariúna

28

20

08

98

119

– 21

Monte Mor

17

32

– 15

278

212

66

Morumgaba

00

02

– 02

15

08

07

Nova Odessa

25

20

05

145

109

36

Paulinia

449

207

242

1.755

2.034

– 279

Santa Bárbara

41

94

– 53

508

477

31

Santo A. Posse

17

13

04

93

90

03

Sumaré

128

148

– 14

959

873

86

Valinhos

31

58

– 27

405

324

81

Vinhedo

22

16

06

188

160

28

Saldo

2.657

1.820

837

14.608

12.319

2.289

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.