Empresa JD COMPOSITES constrói casa ecológica com 612.000 garrafas PET recicladas

Dois empresários canadenses projetaram e construíram uma casa moderna usando 612.000 garrafas PET recicladas. A empresa deles, JD Composites, usa esse lixo para construir moradias ecológicas. No início de 2018, o mundo da reciclagem sofreu uma pequena revolução. A China adotou uma medida drástica ao fechar suas portas para os resíduos importados dos países ocidentais. Uma grande mudança para um grande número de países que estavam acostumados a exportar seu lixo, e eles de repente se viram com enormes quantidades de resíduos para gerenciar.

Foi particularmente problemático para países com as menores taxas de reciclagem. Por exemplo, no Canadá, menos de 10% dos produtos plásticos são reciclados, de acordo com dados do governo. A solução para o novo contexto? Aproveitando soluções inovadoras para recuperar os aproximadamente 3 milhões de toneladas métricas de resíduos plásticos que o país produz anualmente. E é exatamente nisso que dois empreendedores canadenses estão trabalhando. Desde 2015, sua empresa, a JD Composites, projeta casas feitas de garrafas plásticas recicladas.

Ao trabalhar no projeto ecológico dessas residências, a empresa analisou um material já conhecido pela indústria por suas propriedades isolantes, a espuma de tereftalato de polietileno (PET) feita de garrafas plásticas. A JD Composites o utiliza diretamente no design das paredes de suas casas. Em uma fábrica de Ontário, as garrafas plásticas em fim de vida são trituradas para formar pellets que são derretidos a temperaturas muito altas. A reação química em fase gasosa produz um material semelhante a espuma que é derramado em moldes grandes.

PUBLICIDADE 

Depois de resfriada, a espuma endurece na forma de grandes painéis compostos leves e resistentes à umidade e mofo. Os painéis são cobertos com uma camada de fibra de vidro para maximizar sua impermeabilidade e permitir que sejam utilizados como materiais de construção isolantes. Eles podem ser simplesmente montados para criar a estrutura da casa. A primeira casa piloto projetada pela JD Composites utilizava cerca de 612.000 garrafas recicladas. Resíduos que não foram para aterros, mas encontraram uma segunda vida em uma nova casa com design ecológico.

Os dois empresários por trás do conceito estão satisfeitos: “Oferecemos uma solução sustentável para a construção de moradias ecológicas, mas, além disso, sentimos que estamos dando uma contribuição modesta para resolver alguns dos problemas atuais de poluição”. Seu projeto parece ser ainda mais promissor porque a casa resistiu com sucesso a alguns eventos climáticos extremos (inundações, furacões etc.). Um ativo real ao atrair potenciais compradores diretamente preocupados com o risco de desastres naturais. (sebrae inteligencia setorial)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.