Índice Nacional da Construção Civil cresce 0,44% em agosto

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) cresceu 0,44% em agosto,
ficando 0,24 ponto percentual (p.p.) abaixo do registrado em julho (0,68%).
Em agosto de 2018, o índice foi de 0,36%, segundo dados do Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O Sinapi acumula altas de
3,11% no ano e de 4,50% em 12 meses, mantendo o patamar dos 12 meses
imediatamente anteriores (4,42%).

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em julho fechou em R$ 1.143,65, passou para R$ 1.148,65 em agosto, sendo R$ 602,23 relativos aos materiais e R$ 546,42 à mão de obra.

A parcela dos materiais cresceu 0,72%, subindo 0,25 p.p. em relação a julho
(0,47%) e 0,15 p.p. na comparação com agosto de 2018 (0,57%).
Já a taxa da mão de obra aumentou 0,13%, ficando 0,79 p.p. menor que a de
julho (0,92%). Em agosto de 2018, a variação também foi de 0,13%.

No acumulado no ano, os índices dos materiais ficaram em 3,96% e da mão de obra em 2,22%. Em 12 meses, os acumulados foram de 6,24% (materiais) e 2,68% (mão de obra).

Região Sul tem o maior crescimento

O Sul do país teve o maior crescimento em agosto, de 1,51%, por causa de
acordos coletivos em Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As demais regiões
ficaram em 0,14% (Norte), 0,37% (Nordeste), 0,01% (Sudeste) e 1,23%
(Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram de R$ 1.147,70 (Norte), R$
1.064,19 (Nordeste), R$ 1.196,65 (Sudeste), R$ 1.215,17 (Sul) e R$ 1.148,91
(Centro-Oeste).

Santa Catarina é o estado com alta mais intensa

Com aumento nos custos das categorias profissionais, em razão de reajustes
previstos em convenções coletivas, Santa Catarina, com 2,59%, foi o estado
com maior variação mensal. O estado foi seguido por Rio Grande do Sul
(2,37%), Goiás (2,21%), Ceará (1,60%) e Distrito Federal (1,55%), também sob
influência de acordos coletivos. (Redação – Investimentos e Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.