Lei prevê consórcio para revitalização de espaços urbanos em Campinas

A nova LUOS (Lei de Uso e Ocupação do Solo) que passará por audiência
pública na Câmara a partir de sexta-feira (19), vai criar o que o Executivo
chamou de “Operações Urbanas Consorciadas” – que vão permitir intervenções
em espaços urbanos, com a participação de moradores, proprietários, usuários
permanentes e investidores do setor privado. A lei vai prevê que essa
modalidade de intervenção, poderá ser feita em lugares específicos da
cidade, como por exemplo na chamada Macrozona da Macrometropolitana – onde
estão os limites da cidade; nas áreas de expansão das redes de transporte e
também nas regiões onde estão as áreas potenciais para grandes
empreendimentos.

Na cidade são 15 áreas nessas condições, entre elas, o espaço onde está a
antiga rodoviária, o conhecido Curtume Cantúsio, o Hospital Irmãos Penteado
ou os estádios de Ponte Preta e Guarani. Para cada intervenção que vier a
ser adotada, deverá haver uma lei específica, que irá definir, entre outras
coisas, se haverá a exigência de contrapartidas ou o oferecimentos de
incentivos para participante privado. Preempção A nova LUOS também vai
instituir o chamado direito de preempção – que é a preferência de compra
pelo Poder Público de áreas pelas quais tenha interesse para implantação,
por exemplo, de regularização fundiária ou programa habitacional de
interesse social, entre outros. (Metro Campinas)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.