Acordo sela compra de terreno da Vila Soma por R$ 60 milhões

Moradores da Vila Soma, em Sumaré, e da empresa Fema, dona dos terrenos ocupados, chegaram a um acordo e a compra da área foi acertada por R$ 60 milhões. O local tem cerca de 1 milhão de metros quadrados e de acordo com advogados da ocupação, haverá uma regularização fundiária urbana, com base na lei do Reurbe.

O vereador e presidente da Câmara dos Vereadores de Sumaré, Willian Souza (PT), preferiu não informar os valores que serão pagos pelos moradores mas afirmou que, com a decisão e o negócio fechado, as famílias, que ocupam a área há sete anos, passarão a ter dignidade.

Segundo ele, nos próximos dias novas reunião entre as partes serão
realizadas e a intenção é que, em breve, cada morador e comerciante comecem a receber o boleto com a prestação

Em janeiro de 2016, os ocupantes do local chegaram a fazer protestos e
barricadas na entrada da Vila Soma em protesto e resistência à reintegração de posse que estava prevista para aquele mesmo mês.

Às vésperas da data, o então presidente do STF, Ricardo Lewandowski, deferiu uma liminar suspendendo a determinação judicial.

Já em março deste ano a ministra do Supremo, Cármen Lúcia, revogou a
liminar, abrindo, novamente, a possibilidade de retirada das famílias. Na
última segunda-feira, porém, ela aceitou os argumentos do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) e reviu a decisão.

Para Willian Souza, a nova decisão da ministra deu uma garantia jurídica
para a compra da área. O acordo vai beneficiar cerca de 2.700 famílias,
chegando a 10 mil pessoas que estão acampadas na área da maior ocupação
urbana do MTST no País. (CBN Campinas)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.