Cenário do mercado imobiliário de 2021 e expectativas para 2022

Impactos da pandemia, tendências e novos horizontes

“Fique em casa”. Essa foi a principal recomendação dos órgãos de saúde durante toda a pandemia de Covid-19 na tentativa de brecar as contaminações pelo vírus. E nesse cenário, onde grande parte dos setores econômicos foram paralisados, o segmento da construção civil e do mercado imobiliário se destacaram.

Isso porque o consumidor pós-pandemia traz como uma das principais preocupações a qualidade de vida e, consequentemente, a estrutura de sua casa, onde passou a realizar a maioria das suas as atividades com o distanciamento social.

Francisco de Oliveira Lima Filho, presidente da Habicamp

O presidente da Habicamp, Francisco de Oliveira Lima Filho, explica que a busca por residências mais espaçosas, completas e que mantenham o contato com a natureza tem sido as principais buscas dos moradores. “O novo morar precisa oferecer uma experiência completa para todos os residentes. Com as pessoas em casa, as crianças no estudo à distância e o home office, os espaços da moradia se tornaram protagonistas. Por isso, o novo consumidor busca espaço, conforto e não se preocupa mais com distância do trabalho e localização central”, explica.

Cenário promissor

No início de 2020, o mercado imobiliário já apontava para uma era promissora, com a retomada da economia, queda nas taxas de juros e inflação sob controle, com impactos positivos sobre a construção civil, e deve prevalecer aquecido em 2022.

Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), 2020 teve um crescimento de 57,5% nos valores financiados em comparação com o mesmo período do ano passado.

Já os dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) revelaram um aumento de 27,1% das vendas de imóveis no primeiro trimestre de 2021 quando comparados ao mesmo período de 2020.

 Além disso, a taxa Selic em baixa também estimulou a concessão de crédito, uma vez que os juros do financiamento também ficaram mais atrativos.

Expectativas para 2022

Mesmo com o avanço da vacinação, a queda nos casos e óbitos por Covid-19 e a consequente retomada do mercado, ainda assim o desejo de investir em um bom lugar para se morar permanece como tendência.

Sendo assim, o presidente da Habicamp se mostra otimista diante do próximo ano. “A expectativa é de que o mercado siga aquecido e as pessoas continuem buscando imóveis maiores, mais conectados com a natureza e que comportem todas as necessidades da família. Agora, com a retomada da vida, os momentos familiares entre amigos devem voltar e a casa promete ser o novo e principal ponto de encontro”, conta.

Além disso, especialistas acreditam que a digitalização e desburocratização de processos também contribui para que o mercado siga em alta. Isso porque o  distanciamento social permitiu que o morador encontrasse o imóvel dos sonhos de forma online e descomplicada.

A tendência é a ampliação da disponibilidade de opções de imóveis em sites próprios, além da assinatura de contratos digitais, que deve ainda ser usada nas transações.

Mercado Imobiliário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.