Índice FipeZap de locação residencial cresce a 0,51%

Após subir 0,38% em janeiro, o Índice FipeZap de Locação Residencial encerrou fevereiro com alta nominal de 0,51%. A variação positiva observada superou o resultado mensal da inflação pelo IPCA/IBGE no último mês (+0,25%), resultando em uma alta real de 0,26% no preço médio de locação de imóveis residenciais. Entre as 11 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap de Locação Residencial, a maioria apresentou variações de preço que superaram a inflação ao consumidor, sendo Brasília a que apresentou a maior elevação no último mês (+1,24%), seguida pelas altas registradas em Salvador (+0,85%) e São Paulo (+0,70%). Vale notar que apenas 2 das capitais monitoradas apresentaram queda nominal no preço de locação residencial no mês: em Fortaleza (-0,86%) e Porto Alegre (-0,13%). No Rio de Janeiro, uma das capitais com maior peso no índice, o avanço no último mês foi de 0,39% em fevereiro.

O Índice FipeZap de Locação Residencial acumula alta nominal de 4,75% ao longo dos últimos 12 meses – superando, neste horizonte, a inflação medida pelo IPCA/IBGE (+4,01%). Com efeito, o preço médio de locação residencial apresentou alta real de 0,72% nessa janela temporal. Entre as capitais monitoradas, Florianópolis acumula nesse horizonte o maior aumento nominal (+14,57%), seguida por Curitiba (+13,31%) e Porto Alegre (+7,58%). Em contraste, Salvador é a única dessa lista a registrar ligeira queda nominal no preço do aluguel residencial (-0,14%). Quanto às cidades mais representativas no Índice, São Paulo acumula alta de 6,85% no valor médio da locação residencial, enquanto o Rio de Janeiro registra um avanço de 1,05%.

Com base em dados de todas 25 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap de Locação Residencial, o preço médio do aluguel encerrou o primeiro bimestre de 2020 em R$ 30,06/m². Já entre as 11 capitais monitoradas, São Paulo se manteve como a capital com o preço médio de locação residencial mais elevado (R$ 40,01/m²), seguida pelo valor médio registrado em Brasília (R$ 31,19/m²) e no Rio de Janeiro (R$ 30,70/m²). Entre as capitais com menor valor de locação residencial em dezembro, destacaram-se: Fortaleza (R$ 17,18/m²), Goiânia (R$ 17,30/m²) e Curitiba (R$ 21,18/m²).

A razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis é uma medida de rentabilidade (rental yield) para o investidor que opta em adquirir o imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel ao longo do tempo. Nesse sentido, o indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade do mercado imobiliário em relação a outras opções disponíveis aos investidores a cada momento do tempo. Impondo ligeira alta frente ao percentual calculado há um ano (4,50%), o retorno médio do aluguel residencial (anualizado) avançou a 4,77% em fevereiro de 2020 (alta de 0,27 ponto percentual em 12 meses), mantendo-se em patamar superior ao retorno médio projetado para aplicações financeiras de referência. (Investimento e Notícias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.