Projeto de lei que reduz IPTU dos galpões é aprovado em definitivo pela Câmara

Além da geração de renda e empregos, aproximadamente 500 empresas serão beneficiadas  

foto: Carlos Bassan – A Câmara Municipal de Campinas aprovou, na última quarta-feira, dia 3 de novembro, o projeto de lei do Executivo que reduz de 2,90% para 1,80% a alíquota de IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) dos galpões industriais e logísticos. Este projeto segue agora para sanção do prefeito.

A ação, que faz parte do Paes (Programa de Ativação Econômica e Social) projeta benefícios para aproximadamente 500 empresas do setor, além da geração de emprego e renda na cidade.

O prefeito Dário Saadi em anúncio do PAES. (foto: Adriano Rosa)

O prefeito Dário Saadi ressaltou, no dia do anúncio do projeto, que se tratava de um compromisso assumido pelo governo. “Além de resolver a situação de quem está aqui, estamos olhando para o futuro, já que essa lei vai trazer mais investimentos para a cidade”, afirmou.

As pesquisas para este projeto de lei foram desenvolvidas em parceria com o setor produtivo, que apontou o IPTU como um dos parâmetros que impactam nas operações das empresas deste setor. Esse impacto, por sua vez, é responsável por um grande número de galpões vazios na cidade, de acordo com o secretário de Finanças, Aurílio Caiado. “Um galpão logístico ocupado gera muito valor agregado, empregos e aumenta a arrecadação do município. Estamos corrigindo o rumo para tornar Campinas ainda mais atrativa”, explicou.

O presidente da Habicamp, Francisco Lima de Oliveira Filho, celebra o projeto e afirma que ele chega e boa hora para Campinas. “A retomada da economia precisa de empurrões como esse. Parabenizo ao prefeito Dário Saadi e toda sua equipe por dar andamento em um projeto de impacto positivo para a economia da cidade”, diz.

Francisco de Oliveira Lima Filho, presidente da Habicamp
Entenda os benefícios

Para que haja benefícios, é necessário que o imóvel tenha área construída coberta superior a 1.500 metros quadrados; estar enquadrado como não-residencial horizontal; possuir pelo menos uma doca de carga e descarga para cada 500 metros quadrados da área construída; não ter atendimento ao público de comércio ou prestação de serviços.

1 – Recomeça – A lei que cria o Fundo de Apoio à Atividade Econômica do Município de Campinas foi sancionada em 23 de setembro.

2 – Capacitações – Ofereceu 7.237 vagas em cursos gratuitos de qualificação.

3 – Precatórios – O primeiro edital teve 37 propostas, num total de R$ 8 milhões. O segundo edital foi publicado em outubro e a adesão pode ser feita até novembro.

4 – Refis – Começou no dia 22 de setembro. As adesões podem ser feitas até o dia 22 de novembro. O Refis oferece descontos de até 100% em juros e multas para pagamentos de dívidas tributárias (IPTU, ISS e taxas) e até 20% nas não tributárias (multas da Vigilância Sanitária, do Procon e do Cofit).

5 – Lei da Inovação – O projeto está em discussão na Câmara. O objetivo é atrair ainda mais startups e investimentos relativos à inovação e tecnologia para Campinas. A expectativa é ampliar esse segmento em até 30% até 2023.

6 – Campinas Protege – Lei foi sancionada em 27 de outubro. Será concedido benefício de R$ 1.500,00 será em 3 parcelas de R$ 500,00, para famílias que tenham crianças adolescentes, de até 17 anos e 11 meses, cujo detentor da guarda morreu em virtude do coronavírus.

7 – Alteração da Lei do FICC – Projeto foi sancionado em 8 de outubro. Vai beneficiar mais de mil profissionais da Cultura, com um investimento de R$ 2 milhões.

8 – Refis da Setec – Já foi aprovado e aguarda sanção. Oferece desconto de até 100% em juros e multas.

9 – Fundo Municipal de Desenvolvimento Social (FMDS) – O projeto de lei está em discussão na Câmara. O objetivo da Prefeitura com a criação do Fundo é fortalecer os mecanismos de financiamento para investimentos em ações para o desenvolvimento social da cidade.

10 – Meu bairro bem melhor 2 – O projeto foi sancionado pelo prefeito em 15 de outubro. Vai beneficiar mais de 40 mil pessoas de 13 bairros. O recurso de R$ 200 milhões também será utilizado para conclusão das obras do BRT e recape de bairros.

11 – Serviço de Inspeção Municipal (SIM) – O projeto de lei está em discussão na Câmara.Com o selo que será concedido após a inspeção, produtores rurais e pequenos empreendedores poderão comercializar produtos de origem animal no mercado varejista de Campinas.

12 – Incentivo para os galpões industriais e logísticos – Aprovado pela Câmara e segue para sanção. Prevê redução da alíquota de IPTU de 2,90% para 1,80% dos galpões industriais e de logística.

13 – Lei de Incentivos Fiscais – Programa de Atração de Novos Investimentos e Geração de Empregos – lançado em 1º de outubro. Vai conceder benefícios fiscais para empresas de diversos segmentos. Deve gerar, em 2 anos, 3,6 bilhões em investimentos e gerar cerca de 5 mil empregos.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.