Brasileiros estão entre os mais satisfeitos do mundo com novo emprego, diz estudo do BCG

Os brasileiros que mudaram de emprego estão entre os mais satisfeitos no mundo com a nova posição. É o que aponta o relatório Job Seeker Trends 2017: Level of Satisfaction Gained by Changing Jobs, produzido em conjunto pelo The Boston Consulting Group (BCG) e o Recruit Works Institute pelo terceiro ano consecutivo. Cerca de 77% dos entrevistados do país afirmaram que estão mais felizes com o atual posto de trabalho após migrarem para uma nova empresa. Entre os fatores que motivaram a mudança de cargo estão demissões, falta de oportunidades de crescimento e insatisfação com salários e benefícios. O Brasil ficou atrás apenas de China (84%) e Índia (83%) entre os países emergentes. Os brasileiros também estão entre os que menos descartam trabalhar no exterior: 73% disseram que aceitariam sair do Brasil, caso necessário. A média mundial foi 61%.
A pesquisa global com candidatos a emprego que encontraram uma nova oportunidade em 2016 revela que 74% deles aumentaram sua satisfação no trabalho. Isto foi especialmente verdadeiro para quem tem entre vinte e trinta anos (75% deles), os oriundos de mercados emergentes como China e Índia, e aqueles que encontraram um novo emprego em um país diferente (82%). Curiosamente, os entrevistados que iniciaram em uma nova posição no mercado por meio de agências de emprego ou pelas redes sociais estavam mais satisfeitos com o novo desafio (80% e 79%, respectivamente), do que aqueles que utilizaram outros canais.
Essas descobertas, feitas a partir do relatório, fornecem um grande insight sobre a satisfação dos profissionais na força de trabalho global – uma questão importante não só para os candidatos a emprego, mas para as empresas que os contratam, já que a satisfação no trabalho tem uma forte relação com a aquisição e retenção de funcionários qualificados. O relatório analisa os resultados de uma das maiores pesquisas globais sobre as experiências e percepções das pessoas que procuram emprego, incluindo respostas de mais de 13 mil candidatos a emprego de 13 países. Os dados apresentados fornecem um instantâneo das tendências sobre busca de emprego e levantam temas importantes tanto para os candidatos como para os departamentos de recursos humanos.
O salário e os benefícios são fatores-chave na busca de emprego em todos os lugares; não surpreende que o relatório aponte a compensação salarial como o motivo mais popular entre os candidatos a emprego de 2016 para deixar seu emprego antigo, segundo 22% dos entrevistados. Os candidatos a emprego na Índia e na China estão particularmente focados na remuneração, com 35% e 30%, respectivamente, mudando de emprego porque estavam insatisfeitos, e 81% e 63% considerando apenas posições em que sua compensação aumentaria – significativamente maior que a média de 53% para os 13 países pesquisados. Em contrapartida, a porcentagem no Japão foi de apenas 26%, com 28% dos candidatos a emprego também buscando empregos em que a compensação seria reduzida.
Com a crescente popularidade dos smartphones, o relatório conclui que a Internet em geral e os sites de redes sociais (social networking sites, na sigla SNSs), em particular, tornaram-se uma parte importante da pesquisa de emprego, com uma média de 34% dos entrevistados usando SNSs em algum estágio da pesquisa e 19% desse grupo aplicando-se diretamente a ofertas de trabalho em SNSs. Dado o alto nível de satisfação daqueles que encontraram empregos através de SNSs, essa tendência só tende a se fortalecer. (Maxpress)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.