Período de eleições congela os investimentos na região

Caíram pela metade os investimentos anunciados na Região Administrativa de Campinas no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado. De julho a setembro foram informados investimentos em comércio, indústria, serviços, tecnologia e infraestrutura de US$ 356,8 milhões, contra US$ 711,5 milhões em 2017. No acumulado dos últimos quatro trimestres, os valores anunciados em 2017 e 2018 ficaram em cerca de US$ 1,9 bilhão, mantendo a região administrativa como a segunda mais atrativa do Estado. Ela perde apenas para a Região Metropolitana de São Paulo.

A indústria, mais uma vez, foi o setor responsável por garantir um grau de investimentos regional em momento de crise. No terceiro trimestre de 2017 anunciou US$ 253,8 milhões e neste ano ampliou para US$ 330,2 milhões. Os setores de infraestrutura, comércio e serviço foram os mais atingidos, segundo a Pesquisa de Investimentos Anunciados no Estado de São Paulo (Piesp), divulgada ontem pela Fundação Seade. O setor de infraestrutura viu cair de US$ 407 milhões no ano passado para US$ 14,7 milhões. O de serviços, de US$ 37,3 milhões para US$ 3,3 milhões.

A queda nos investimentos anunciados, segundo o economista e consultor Carlos Henrique Sampaio, tem como principal fator um componente político: o terceiro trimestre do ano foi período pré-eleitoral, com muitas dúvidas sobre o destino do País. “O investidor precisa de segurança para aplicar seu dinheiro e num clima de incerteza, não arrisca. Mesmo agora, ainda não temos com clareza como será a política econômica do governo eleito e certamente o investidor ainda vai aguardar um pouco para se decidir”, afirmou.

A indústria foi responsável por 92,5% dos investimentos anunciados na região administrativa de Campinas, sendo que 68,1% deles ficaram com o setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, com o anúncio de US$ 242,9 milhões para a área

Na Região Administrativa de Campinas, onde estão 82 cidades, os investimentos somaram US$ 1,96 bilhão até o nono mês de 2017 e US$ 1,98 bilhão neste ano, até setembro. Entre os anúncios do terceiro trimestre deste ano estão a instalação, em Americana, da nova planta da fábrica Sanfarma e a aquisição de maquinário para a produção de ataduras e compressas de gaze para o mercado farmacêutico.

Integra também a lista de investimentos a construção de complexo hoteleiro, um centro corporativo e flats do Boulevard Business Hotel, Convention Center & Housting Flats, em Holambra.

Investimentos também foram anunciados em Indaiatuba, na aquisição de 200 caminhões elétricos da BYD, que serão utilizados na coleta e transporte de resíduos pela Corpus Saneamento e Obras. A cidade também está recebendo US$ 242,9 milhões na modernização da fábrica de automóveis da Toyota.

Em Campinas, um importante investimento, de US$ 36,4 milhões, foi anunciado pela Azul Linhas Aéreas na construção de hangar para serviços de manutenção de aeronaves no Aeroporto Internacional de Viracopos. A CPFL também anunciou a implantação de sistema que digitaliza dados analógicos dos equipamentos dos pátios e os transmite, por meio de redes de fibra óptica, para dispositivos na casa de controle da distribuidora. A White Martins anunciou US$ 30 milhões na construção de unidade de produção e enchimento de gases especiais, medicinais e industriais em Vinhedo. (Correio Popular)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.